Aulas gratuitas de robótica ao alcance dos jovens do DF

Aulas gratuitas de robótica ao alcance dos jovens do DF

Crianças e adolescentes de 10 a 18 anos terão acesso a laboratórios e equipamentos para serem inseridas no mundo e mercado da tecnologia.

Os laboratórios de robótica vão atender, a princípio, as regiões administrativas de Sol Nascente/Pôr do Sol, Estrutural, Samambaia, Brazlândia, Paranoá e Itapoã.

O universo da robótica e da tecnologia estará ao alcance da população do Distrito Federal. Essa conexão será feita com crianças e adolescentes de 10 a 18 anos por meio da implantação de laboratórios nas regiões administrativas. Nesses espaços, os alunos vão aprender desde a manusear softwares livres e impressoras 3D até construir robôs e drones e conceitos de web design. É o que estabelece o programa Passaporte para o Futuro, uma ação conjunta de governo entre as secretarias de Ciência, Tecnologia e Inovação, de Juventude e de Justiça e Cidadania em parceria com o Instituto Campus Party.

Os laboratórios de robótica vão atender, a princípio, as regiões administrativas de Sol Nascente/Pôr do Sol, Estrutural, Samambaia, Brazlândia, Paranoá e Itapoã. As aulas vão ser gratuitas e destinadas ao público jovem para inseri-los numa área cada vez mais presente e importante no mundo.
Esses cursos serão oferecidos em espaços que pertencem às administrações regionais, nos Centro de Juventude – administrados pela Sejus (Secretaria de Justiça e Cidadania) – e demais equipamentos públicos aptos a receber os estudantes em salas climatizadas de 40m² a 50m². As turmas serão compostas de 30 alunos por turno (matutino e vespertino), com monitores e orientadores. O laboratório do Paranoá será o primeiro inaugurado entre as 13 unidades previstas nessa primeira fase do programa.
“A ideia é fazer com que esses jovens possam se tornar desenvolvedores, programadores. São mais de 30 profissões nessa área de tecnologia que eles terão acesso e estarão aptos a atuar no mercado de trabalho”, explica o secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação, Gilvan Máximo.
Oportunidade
O critério de seleção dos estudantes será os mesmos usados para o Cadastro Único. As vagas serão destinadas a alunos de baixa renda, das quais 50% delas para o sexo feminino e 50% para o masculino. Será analisada também a frequência escolar do estudante.
Estudante da rede pública de ensino, Marco Antônio Moura, 16 anos, será monitor da unidade do Sol Nascente/Pôr do Sol. Oportunidade que ele faz questão de agradecer antes mesmo de ter início o projeto. “Isso é tudo para mim, vai mudar minha vida. Além de aprender vou ajudar os outros para que as pessoas tenham uma profissão”, comenta.
“Vamos atender meninas e meninos para ter esse primeiro contato com a tecnologia. É um novo tipo de emprego e vida. Além dos cursos, tem a construção de materiais, de robôs. Eles vão ter sua primeira experiência com tecnologia aliando com facilidades para o dia a dia deles. Até por isso escolhemos regiões de maior vulnerabilidade social”, explica o secretário da Juventude, Léo Bijos.
Segundo o secretário de Justiça e Cidadania, Gustavo Rocha, o laboratório de robótica representará uma oportunidade de inclusão tecnológica e qualificação profissional. “Essa iniciativa vai aproximar os jovens em situação de vulnerabilidade da tecnologia, levando conhecimento e despertando o interesse deles para este tema”, disse. E complementou: “A instalação do laboratório no Centro de Juventude, que já é reconhecido pela comunidade como um espaço de promoção da cidadania, significa a união e o fortalecimento de dois projetos que tem o mesmo objetivo: dar um futuro melhor para os nossos jovens e promover uma transformação social em áreas pobres e com altos índices de violência”, disse.
Os laboratórios de robótica são mais uma ação integrada do Governo do Distrito Federal com a sociedade civil. Todo o material didático e físico será disponibilizado pelo Instituto Campus Party, maior acontecimento tecnológico do Brasil. O projeto consiste em laboratórios com mobiliário, equipamentos de eletrônica para ensino de robótica, impressora 3D, computadores, material didático e internet de alta velocidade.
A concretização dos laboratórios também contou com a participação dos deputados distritais Júlia Lucy, Eduardo Pedrosa e Leandro Grass e do ex-deputado distrital Joe Valle. Além de ideias, eles colaboraram com emendas parlamentares.

As aulas vão ficar a cargo de Organizações de Sociedade Civil (OSC) selecionadas dentro de critérios legais pela secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação. Os profissionais serão escolhidos e treinados pela Campus Party.

Fonte retirada de: Agência Brasília DF

11 Comments
    1. Estamos finalizando o processo de seleção dos laboratórios.
      Atualmente o único laboratório com a seleção concluída é o de Itapoã que foi inaugurado no dia 17/02/2020.

      1. Onde faço inscrição pra Goiania?

  1. Quando sai o resultado de Natal?

  2. Bom dia!
    Como iremos saber se o adolescente foi selecionado no Include?

    1. Olá Márcia, ficamos felizes em saber disso;
      Você pode tá acessando esse link ( https://institutocampusparty.org.br/inscricao/ ) e escolher o melhor local para o seu filho fazer o curso com a gente!!
      As inscrições ainda não foram abertas, mas você já pode está se inscrevendo para que fique guardado no nosso banco de dados!

Deixe uma resposta para Rosilda Cancelar resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.