Jovens recebem certificados de robótica do projeto Include DF

Jovens recebem certificados de robótica do projeto Include DF

Programa do Instituto Campus Party, em parceria com o GDF, recebeu investimento de R$ 4 milhões de emendas parlamentares.

Cerca de 500 jovens receberam certificados de robótica, nesta quarta-feira (20), por terem concluído o Programa de Laboratórios de Robótica (Include). Os documentos foram entregues pelo vice-governador, Paco Britto, e pelo secretário de Ciência e Tecnologia, Gilvan máximo, durante cerimônia no Palácio do Buriti, em Brasília.

Ao todo, três mil alunos participaram da primeira turma do projeto que tem o objetivo de promover a inclusão social e econômica para jovens de comunidades sem acesso à tecnologia. Promovido pelo Instituto Campus Party, em parceria com a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação do Distrito Federal (Secti), o Include contou com um investimento de R$ 4 milhões que vieram de emendas parlamentares.

“Estamos treinando e capacitando vocês para as profissões do futuro”, destacou o secretário Gilvan Máximo. “O Parque Tecnológico vai precisar de vocês para que venham ocupar esse espaço”, frisou.

O vice-governador Pacco Britto aproveitou a ocasião para anunciar que a Campus Party 2022 será presencial. “Esperamos que, até lá, esteja controlada a pandemia”, disse. No ano passado, o evento de imersão tecnológica aconteceu de forma remota.

Há três anos, a iniciativa começou no DF com o objetivo de capacitar jovens de baixa renda, entre 12 a 20 anos, e desenvolver habilidades ligadas à robótica, sensores e mecânica. Nas aulas gratuitas, os alunos do Include tiveram a oportunidade de entrar em contato com drones, impressoras 3D e princípios de programação. Os laboratórios foram instalados em 13 regiões administrativas.

Para o vice-presidente da Câmara Legislativa, Rodrigo Delmasso, o futuro foi antecipado por conta da pandemia. “Não podemos admitir que mentes brilhantes sejam exportadas para fora de Brasília ou do país”, ressaltou.

Segundo Delmasso, a CLDF vai discutir a ampliação do Include no âmbito de debates que envolvem o Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA), já encaminhado pelo executivo à apreciação da Casa. O Include tem boa aceitação entre os parlamentares. Até mesmo os distritais de oposição ajudaram no destino de recursos ao programa.

Esse foi o caso de Leandro Grass (Rede). “Todo projeto de educação é política de estado, independente de questões políticas, ou partidárias, cabe a gente apoiar”, frisou.

Durante a pandemia de Covid-19, as aulas do Include passaram do regime presencial para o on-line. Por conta disso, o presidente da Campus Party, Francesco Farruggia, ressaltou que parte dos alunos teve dificuldade em realizar as aulas por dificuldades no acesso à internet. Com a retomada das atividades presenciais em 2022, a expectativa é que os alunos poderão aplicar os conhecimentos adquiridos na prática.

Fonte retirada de: R7 Brasília

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.