Inova Amazônia seleciona projetos inovadores que desenvolvam soluções a partir da biodiversidade

Inova Amazônia seleciona projetos inovadores que desenvolvam soluções a partir da biodiversidade

Empresas inovadoras têm até o dia 5 de setembro para se inscreverem no programa. A proposta do Sebrae é fortalecer a economia da Amazônia a partir da valorização dos produtos e dos conhecimentos locais

Apoiar empreendedores e pesquisadores na criação ou desenvolvimento de pequenos negócios que atuem de forma sustentável e inovadora, com uso de insumos da biodiversidade da região Amazônica. Esse é o propósito do Programa Inova Amazônia, lançado pelo Sebrae durante a Campus Party 2021, e que está com inscrições abertas até o próximo dia 5 de setembro.

As ações do Inova Amazônia – Edição Pará – contam com parcerias com o governo do estado paraense, do Parque de Ciência e Tecnologia Guamá e apoio da União Europeia. As propostas podem ser feitas por pessoas físicas ou pessoas jurídicas, no caso micro e pequenas empresas que faturam anualmente até R$ 4,8 milhões.

“Esse é um programa de aceleração com uma temática bem específica: bieconomia”, comenta a analista de Inovação do Sebrae, Valéria Schneider. “O que nós queremos é atrair aqueles empresários, potenciais empreendedores ou ainda pesquisadores de qualquer parte do país que tenham uma ideia de negócio inovadora na temática da bioeconomia. Estamos falando de qualquer setor econômico que use de maneira sustentável, insumos, ativos naturais da biodiversidade da Amazônia e que faça a transformação desses insumos em um produto ou serviço de alto valor agregado, sem destruir a floresta”, acrescenta Valéria.

Nessa edição do Inova Amazônia, o Sebrae está recebendo propostas de qualquer parte do país e qualquer setor econômico da bieconomia como: alimentos e bebidas, fitoterápicos e nutracêuticos, construção, higiene, perfumaria e cosméticos, bioenergia, farmacêutico, farmoquímicos, novos materiais ainda setores relacionados com logística e tecnologia da informação aplicada à bioeconomia.

Os projetos selecionados passarão por um período de pré-aceleração online, com duração de dois meses, onde os empreendedores ou pesquisadores terão a possibilidade de montar seu projeto de empreendimento. A segunda fase é o momento da aceleração, com duração de seis meses. Nesse momento, os participantes receberão uma intensa programação de conteúdos, mentorias, eventos de conexão com o mercado e com investidores. Além disso, nessa fase de aceleração, haverá uma bolsa de apoio ao empreendedor no valor de R$ 36 mil para que ela ou ele possam se dedicar integralmente ao programa. Por fim, a terceira fase é o momento de apoio à internacionalização onde os participantes terão acesso a conteúdos e orientação sobre como expandir o negócio para mercados fora do país.

Certificação
A Biozer da Amazônia é uma startup amazonense que também tem se destacado nacional e internacionalmente no segmento da bioeconomia. Especializada no desenvolvimento de produtos 100% naturais, veganos e de base florestal amazônica, a empresa aposta na sustentabilidade socioambiental. O empresário Danniel Pinheiro explica que uma das missões da empresa é mostrar a importância do extrativismo local. “As comunidades de caboclos e ribeirinhos que fornecem toda nossa matéria prima, são o elo entre a Floresta e a indústria. Nós temos uma ação muito forte junto a essas populações, com treinamento e melhoria dos insumos e entregamos aos nossos clientes um produto com rastreabilidade. Esse trabalho se reverte em benefício de aproximadamente 2 mil pessoas de comunidades tradicionais”, comenta Danniel.

 

Fonte retirada de:  ASN Agência Sebrae de notícias 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.